Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Natal na rota da diversidade

Diário de Natal - 7 de abril de 2012 
Opções para o público LGBT colocam a capital potiguar como um dos destinos turísticos gays
"A Fervorosa Natal" é o título de uma das matérias da edição 10 da Revista Label, publicação eletrônica direcionada ao público LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros). Além das opções já destacadas na capital potiguar como as dunas de Jenipabu, no litoral Norte, e o Morro do Careca, na praia de Ponta Negra, a reportagem apresenta uma série de pontos de lazer direcionados ao chamado "universo LGBT".


Setur tem estudo embrionário sobre equipamentos destinados ao público LGBT em Natal e irá fazer mapeamento. Foto: Frankie Marcone/DN/D.A Press
Embora não tenha lido a reportagem, o secretário estadual de Turismo, Eduardo Bulhões, revela que já existe um estudo embrionário sobre os equipamentos destinados ao público LGBT em Natal. "É um público que vem crescendo e tem de ter uma programação", observa. O objetivo da Setur é dar prosseguimento ao projeto realizando um mapeamento dos locais e preferências. "Já ouvi falar inclusive de algumas pousadas bem direcionadas a esse público. Falta mapearmos", diz.

A Revista Label na matéria da edição 10 dá algumas dicas de locais para serem frequentados por homossexuais. A matéria cita Ponta Negra como um lugar de muitas opções de diversão, entre bares, tabernas e danceterias. O Donana Pub, em Candelária, é mostrado como bom local para o famoso "esquente" antes da balada. Logo ao lado, os fãs de música eletrônica têm como opção a boate Vogue, também destacada pela publicação como ponto para curtir a noite natalense.

Próximo ao shopping Cidade Jardim, a revista indica a casa Feitiço para um programa alternativo com shows de humor, apresentações de bandas e drag queens. Para os que preferem o forró, o Kafofu Bar, no bairro Neópolis, surge como opção. Outra recomendação, desta vez aos cristãos, é uma visita à Comunidade Cristã Nova Esperança (CCNE), responsável pelo primeiro casamento gay do Nordeste.

A publicação completa pode ser encontrada em www.revistalabel.com.br.

Turismo LGBT cresce
Em outra matéria da edição 10, a Revista Label destaca o crescimento do segmento turístico LGBT. A publicação cita lugares consolidados como destinos para o público homossexual como o Rio de Janeiro, eleito pela segunda vez consecutiva como destino gay mais sexy do mundo pela LogoTV, e São Paulo, considerada a cidade mais gay-friendly da América Latina pelo portal GayCities.com.

Outras cidades também são destacadas, como Florianópolis, que receberá o principal evento internacional do segmento, a Convenção da International Gay and Lesbian Travel Association (IGLTA). Maceió, Caxias do Sul e Salvador são outros lugares que vêm se capacitando para receber esse tipo de turista, segundo a revista. 

2 comentários:

Anônimo disse...

O problema de muito de vocês que são homossexuais

É que vocês querem mudar a sociedade em um todo, querem mudar o termo família, querem ter mais direito do que um casal heterossexual na sociedade
Querem ocupar espaço na educação, tentando introduzir direitos e ensinamentos homossexuais nas escolas, com a desculpa de que todos devem ter conhecimento sobre Homossexualidade.
Será que não bastasse que vocês lutassem apenas por um direito de liberdade de viver.

Afinal querem mudar a sociedade em termo geral, só apenas para serem considerados aceitos na sociedade.
Essa é a visão deturpada que muito de vocês homossexuais tem em relação aos seus direitos humanos.
Faz o seguinte: abrassem a causa dos direitos humanos dos heterossexuais, abracem a causa contra o preconceito racial.
Lutem pelo direito de cidadão pela saúde, segurança, e pela educação.
Abracem a causa pelo direito e respeito aos idosos e etc.
Abracem a causa por leis que defendam o cidadão brasileiro contra o crime e a violência desse país.
Mas, vocês por serem homossexuais, só pensam em homossexualismo, e acham que essa é a única razão que vocês têm de lutar pela vida, pelos seus direitos.
Se vocês querem lutar por direitos humanos, Comecem respeitando os direitos humanos dos heterossexuais.

A realidade é uma só: um homem e uma mulher é que por natureza genealógica, é que podem concebem a um filho (a) apartir da própria criação da natureza fisiológica do casal.

Por tanto o homossexualismo, não pode substituir essa natureza genealógica que é de um casal: homem e mulher.

quero dizer que, o que Deus criou nenhum homem homossexual e nenhuma mulher homossexual pode mudar.

Então passem a se contentar com os seus direitos de liberdade de viver da forma em que são.

Fernando Íntimo e Pessoal disse...

É uma pena que você não se identificou, percebe-se o quanto estas escondido. Não quero muito falar, apenas tecer uma reflexão. Se um dia o Sr. estiver num leito de hospital esperando por cuidados necessários a sua existência, tenho certeza que se entrar um "homossexual" em seu quarto com o medicamento para alívio de sua dor, o Sr. vai trata-lo como filho e vai beija-lo a mão. Vou além, visite um cemitério e compare duas lápides com nomes masculinos e tente acertar quem é o homossexual. Grande abraço e muito evolução para o Sr. Fernando Rizatti - São Paulo / SP

Postar um comentário