Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Ponta Negra perde quiosques para a maré

Diário de Natal - 22 de maio de 2012 

Comprometimento do calçadão e novas ressacas fazem Defesa Civil determinar remoção de estruturas



Quiosque 15 é o segundo a ser retirado do calçadão. Defesa Civil avalia remoção de mais dois dos 28 existentes na orla. Foto: Fábio Cortez/DN/D.A Press
Ponta Negra começa a perder seus quiosques de praia. Ainda hoje a Defesa Civil Municipal e a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur) devem retirar o Quiosque 15, que teve a estrutura comprometida por causa da força das marés altas no final de semana. Com a chuva que caiu em Natal no sábado e a maré alta que ocorreu na noite do domingo, com 2,30 metros de altura, a situação no calçadão se agravou. É o segundo quiosque retirado da praia mais famosa da capital, que sofre sucessivas ressacas nos últimos 20 dias. Caso continue a situação crítica de destruição do calçadão, a Defesa Civil avalia retirar mais dois deles nos próximos dias: os quiosques 14 e 17. A praia contabiliza hoje 28 quiosques, ao longo de mais de dois quilômetros de calçadão.

Um trabalho lento de recuperação do calçadão é feito pela Semsur, mas a secretaria tem encontrado dificuldade justamente por causa das ressacas. A Defesa Civil vai colocar placas indicando locais sob risco para pedestres, turistas e banhistas que circulem ao longo do calçadão e na Avenida Erivan França, que fica à beira-mar. Também deve finalizar um relatório e apresentá-lo amanhã. "De ontem para hoje [domingo e segunda], não houve mais desabamento, mas ainda assim retiraremos o quiosque que está comprometido. Os riscos de desabamento são iminentes em vários pontos. Colocaremos placas indicando perigo em alguns trechos do calçadão", afirmou o diretor da Defesa Civil Municipal, Irimar Matos do Nascimento.

Irimar assegurou que, apesar dos riscos, os banhistas podem tomar banho de mar tranquilamente em alguns pontos da praia que não estão destruídos. "Estamos fazendo o monitoramento constantemente, em média três vezes por semana. Ao longo desse trabalho, estamos interditando alguns trechos, descidas de pedestres e fazendo o isolamento nas partes mais comprometidas. Na quarta-feira finalizaremos o relatório", disse o diretor.

Ele se refere ao estudo feito pela Defesa Civil que vai detalhar que não apenas os quiosquesestão sob risco, mas também postes, bancos e o próprio calçadão da praia. Em alguns trechos, os coqueiros estão com raiz totalmente exposta, alguns com mais de um metro, ameaçando desabar. O ponto mais crítico fica na altura do Hotel Visual. 

0 comentários:

Postar um comentário