Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

RETOMADA

Nove longos meses se passaram desde NOSSOS últimos encontros por essas bandas digitais. Durante esse tempo, o BLOG esteve desatualizado [56.950 desculpas por isso*] e só agora tomei fôlego suficiente para prosseguir com dedicação e intensidade necessárias. Era o momento de planejar e agir [publicamente] nos bastidores.

Estive no olho do furacão entre setembro de 2006 e maio de 2007 - os nove meses mais longos da minha vida -, acordei e dormi respirando 100% a causa do Movimento SOS Ponta Negra, mudei de casa, de bairro e de visual, veio a pressão externa e a deprê interna. Escapei de armadilhas [cai em outras] e há fortes indícios que meu celular foi alvo de grampo.

Não estou me lamentando, apesar de ter ganhado 99% dos meus atuais fios de cabelo branco durante o período: garanto que teria feito tudo de novo! Precisava desse tempo para recuperar as energias.

MOVIMENTO NÃO É ONG

Felizmente conseguimos chamar atenção da cidade para o problema [da especulação imobiliária sem escrúpulos, que anda na contra-mão do desenvolvimento real e da qualidade de vida], e fazer com que a população tomasse conhecimento da importância de se participar da construção do Plano Diretor. O Prefeito Carlos Eduardo e a Promotora Gilka da Mata também foram peças fundamentais para o êxito de NOSSA mobilização legítima, espontânea e apartidária.

Muitos sugeriram que o Movimento SOS Ponta Negra fosse transformado numa Ong, mas rebati com o seguinte argumento: "Uma Ong tem que ter diretoria, presidente e setor financeiro, isso acabaria com NOSSA espontaneidade. O Movimento não precisa ter um dono, estamos juntos com o Conselho Comunitário, Associação de Moradores dos Conjuntos Ponta Negra e Alagamar, outras Ongs também nos apóiam. Qualquer um pode se auto-denominar membro honorável e multiplicar a idéia do SOS PN. E que venham o SOS Tabatinga, o SOS Mãe Luíza, SOS Santos Reis, Rocas, Ribeira, Redinha, Igapó, Capim Macio, Felipe Camarão, Alecrim..."

E vieram mesmo! Em todos os bairros eclodiram núcleos dispostos a multiplicar essa luta pelo bem estar comum [nada mais é do que isto]. Agora precisamos nos organizar pra ver a cidade funcionar nos bastidores. Natal precisa dar um upgrade por trás das cortinas, nas coxias. A embalagem está linda!! NOSSA cidade é maravilhosa, mas há uma outra Natal que poucos conhecemos - lugares que nem de longe lembram os belos cartões postais.

PLANO DIRETOR E OS VIRA-CASACAS

A votação do Plano Diretor na Câmara dos Vereadores de Natal foi aquela coisa: quem estava mobilizado ganhou algum tempo. Também tivemos alguns vexames de vira-casacas de última hora e a Operação Impacto, que desmascarou ligações suspeitas de políticos com empreendedores interessados na votação.

Por pouco toda a cidade não era D-O-M-I-N-A-D-A: houve negociação difícil na Zona Norte, pegaram um pedaço entre o Campus da UFRN e o Shopping Via Direta, impregnaram ainda mais áreas já adensadas, puxa daqui e dali e Ponta Negra aprovou o projeto para elaboração de um Plano Setorial específico.

Mesmo com algumas vitórias temporárias o quadro ainda pode reverter se não estivermos [e permanecermos] atentos. A todo tempo querem aprovar propostas absurdas como a de se construir prédios com saneamento particular.

Quem vai querer comprar um apartamento, com uma tremenda vista e ao lado de uma lagoa de captação? Sem falar nos prédios vizinhos, cada qual com sua própria fossa a céu aberto. E o caos fora das grades dos condomínios? Todos terão carros 4x4 para não atolar na lama?

UM OLHO A MAIS

RETOMO
o BLOG para ser um olho a mais fiscalizando as atividades que podem ou não garantir um futuro mais digno para NOSSA [repito!] maravilhosa cidade Natal. Além de fortalecer a rede.

Não à toa, Natal foi a capital do Brasil que mais atraiu investimentos no setor imobiliário. Então pergunto: "Quais os misteriosos motivos para tantas pessoas se interessarem em vir morar ou investir em Natal? Serão as belezas naturais e a qualidade de vida, ou concreto armado de gosto duvidoso que enfeiam nosso horizonte?"

Queremos progresso e desenvolvimento, mas não a todo custo e em detrimento do próximo. Queremos um equilíbrio entre crescimento e preservação sócio-cultural e ambiental.

Yuno Silva
Natal RN
29/02/2008

>> Agradecimentos:
. Conselho Comunitário de Ponta Negra
. Associação de Moradores dos Conjuntos Ponta Negra e Alagamar
. Capoeira Arte/Vida
. Pau e Lata
. Teatro da Vila / Tropa Trupe
. Sociedade dos Poetas Vivos e Afins do RN
. Coletivo Leila Diniz
. Ong Natal Voluntários
. Ong Resposta
. UFRN :: alunos e professores dos cursos de Arquitetura, Ecologia, Biologia, Ciências Sociais, Comunicação Social, Turismo, Psicologia, Direito, Geografia e Artes.
. Faculdade Câmara Cascudo
. Facex

VISITAS* AO BLOG

* de 30/08/2006 a 28/02/2008 - contando com o intervalo de nove meses

= 56.950 total de visitas ao BLOG em 18 meses [em 2008 :: 2.714] || 88 países dos cinco continentes || 332 postagens || 1.711 comentários || média diária de visitas: 43,66

Os dez primeiros países na sintonia da audiência:
. Brasil
. Portugal
. Estados Unidos
. Espanha
. Itália
. Alemanha
. Inglaterra
. França
. Holanda
. Suíça

16 comentários:

Anônimo disse...

Grande Yuno. A luta em defesa de Ponta Negra não será em vão. Infelizmente acredito que esta seja apenas a primeira delas, não é mesmo? Como você sabe, a especulação imobiliária numa verdadeiora progressão aritmética. Gostaria de poder ajudar de alguma forma, é possível.

Força.


Filipe Mamede

Yuno.Silva:.* disse...

fala Filipe,

pra melhorar só depende da dedicação diária de cada um de nós. Se pudermos doar parte do tempo livre em prol de alguma causa nobre já está valendo.

abração

Anônimo disse...

O Diretório Central dos Estudantes da UFRN comemora a retomada do blog e parabeniza o companheiro Yuno, que foi alvo de perseguição, por não desistir da luta. É isso aí... DA LUTA NÃO ME RETIRO! Saudações companheiro! Estamos na luta!

Bruno Costa - Coordenação de Organização Estudantil

Yuno.Silva:.* disse...

Valeu Bruno, realmente essa gestão do DCE fez e faz acontecer.

gde abraço,

Anônimo disse...

"Deus não escolhe apenas os capacitados, mas capacita os escolhidos". (Autor desconhecido)

Caro Yuno
Ao eclodir o SOS PONTA NEGRA, fruto da sua sensibilidade encorajei-me e passei também conclamar nossos moradores a observar o que estava acontecendo em nossos dois conjuntos residenciais formados por unidades horizontais.
As demolições estavam a ritmo acelerado, dando lugar a espigões que quase fecharam o círculo em volta dos nossos conjuntos. As conseqüências de impacto ambiental já são sentidas por muitos. A sensação térmica variou para o alto, a insegurança sob o aspecto do narcotráfico ficou evidenciada com as ações da Polícia Federal. Enfim, a metamorfose do bairro salta aos nossos olhos. Ficar contra o progresso? Claro que não é esse o posicionamento. Mas ficar contra sim às agressões ao meio ambiente de modo inconseqüente pela sanha da sede voraz de lucros.
Nossa meta é sensibilizar os moradores ao que prevê o PLANO DIRETOR DE NATAL ainda ignorado ou visto de modo indiferente por grande parte dos nossos moradores.
Precisamos levar às principais entidades do bairro, como a IGREJA CATÓLICA ROMANA DE PONTA NEGRA, CLUBE DE MÃES DE PONTA NEGRA E GRUPO DA TERCEIRA IDADE DA AMPA liderados por membros da nossa Diretoria da AMPA essa discussão tão importante para todos nós.

Um feliz retorno, e conte conosco nesta empreitada cívica.

DIMIRSON HOLANDA CAVALCANTE
Diácono da ICAB

Anônimo disse...

MEMÓRIA

Aos que não acompanharam o trabalho dos moradores aqui vai publicado uma série de argumentos elaborados sob a orientação técnica do Professor Heitor (Arquiteto) e de moradores com formação profissional em Arquitetura e Urbanismo como a Jacqueline, o Crives, Engenheiro Civil.
Nesta conjugação de esforços, moradores com qualificação técnica e moradores colaboradores, o sucesso do trabalho se deu pela a união em torno de um objetivo comum: A QUALIDADE DE VIDA AMBIENTAL EM NOSSOS PARQUES RESIDENCIAIS.
Em que pese às medidas restritivas aprovadas na votação das Emendas, com a sanção do Plano Diretor Atual e a novidade do Plano Setorial para Ponta Negra, sabíamos que de agora em diante se faz necessário um acompanhamento por parte dos moradores de Ponta Negra, e de modo especial aqueles que residem nos Parques Residenciais de Ponta Negra e Alagamar.
A retomada dos trabalhos com colaboração dos alunos da UNP e UFRN, sob a orientação técnica e pedagógica dos Professores Heitor e Cristina é da mais importância para nós.
Teci algumas críticas verbais por ocasião da 1º reunião, dia 13/03/08 na sede da AMPA com os Universitários e os Professores acima citados por não enxergar a presença acentuada de moradores. Atribuo a isto o fraco empenho da AMPA que ainda não está sensibilizada para a importância desse trabalho voluntário que reverterá benefícios para todos nós moradores dos dois conjuntos residenciais.
Aproveito a oportunidade para cobrar a resolução na primeira reunião deste ano, realizada no Conselho Comunitário de Ponta Negra que foi o envio de um ofício à SEMURB pela AMPA solicitando um mapa onde constem todas as obras em execução nos parques residenciais de Ponta Negra e Alagamar. Ofereci-me como voluntário para colher a assinatura do Presidente do Conselho Comunitário de Ponta Negra após a confecção do ofício e assinatura da Presidente da AMPA, tendo entregado o ofício às mãos de CAIO através de sua esposa.
É interessante que tenhamos com brevidade este mapa fornecido pela SEMURB para que se faça o cruzamento das informações obtidas pelos os alunos que irão a campo efetuar o trabalho de levantamento das obras em andamento.

Atenciosamente,

Dimirson Holanda Cavalcante
Morador

Anônimo disse...

ECONOMIA E POLÍTICA

Diz-se que nos Estados Unidos, até as vovós sabem discutir as operações da bolsa de valores. É explicável. Um país onde se pratica a maior economia do planeta não era para ser diferente.
E aqui em nosso Brasil, os cidadãos são incentivados a compreender os fundamentos da economia? A resposta está nos acontecimentos dentro do cenário político que iremos assistir. Muitos irão assistir o que não significa que irão entender. Economia e Política são irmãs siamesas embora uma (economia) possa parecer diferente da outra (política).
Quero dizer antes de tudo que concordo com a conceituação realizada pelo nosso amigo Yuno quando ele se refere à política como uma ciência que promove o bem estar comum. Os métodos como são aplicados às regras e as práticas de alguns políticos é que são motivos para se discutir e deveriam ser do interesse do faxineiro ao acadêmico universitário, dos senhores e senhoras, desde a simples dona de casa ao mais destacado executivo.
Quando esse chavão muito repetido, por muitos, de que religião, política e até futebol não se discute, é necessário acrescentar que não se deve mesmo fazê-lo quando estamos tomados pela paixão sobrepondo a razão. Se observarmos esse cuidado, o pensamento lógico vai predominar e os resultados da discussão serão altamente positivos para o exercício da nossa cidadania. Mas infelizmente isto não acontece (ainda)!
Em economia se aprende o que vem a ser mercadoria nos conceitos preliminares da ciência, e uma vez entendidos se transportarmos para a atividade política com “p” minúsculo veremos muita ligação. Como um bem produzido se torna mercadoria em economia e na política, e como as necessidades sociais se tornam também mercadorias para políticos inescrupulosos. Ninguém está imune ao canto corruptor da sereia, seja no âmbito dos três poderes ou privado. Sómente com educação política dos seus filhos uma nação atingirá o nosso tão sonhado emblema ORDEM E PROGRESSO.
A propósito, postei o bom artigo do Jornalista Villas-Bôas Correia (Jornal Tribuna do Norte, edição de 16/03/08 página 2 caderno Opinião) LULA COBRA DÍVIDA DOS MAUS PAGADORES

Dimirson Holanda Cavalcante
Morador

Anônimo disse...

Yuno

Parabenizo a você e sua equipe pera atualização deste meio de comunicação.

"Ad summus"

Dimirson

Anônimo disse...

REPUBLICADO POR MOTIVO DE CORREÇÃO

ECONOMIA E POLÍTICA

Diz-se que nos Estados Unidos, até as vovós sabem discutir as operações da bolsa de valores. É explicável. Um país onde se pratica a maior economia do planeta não era para ser diferente.
E aqui em nosso Brasil, os cidadãos são incentivados a compreender os fundamentos da economia? A resposta está nos acontecimentos dentro do cenário político que iremos assistir. Muitos irão assistir o que não significa que irão entender. Economia e Política são irmãs siamesas embora uma (economia) possa parecer diferente da outra (política).
Quero dizer antes de tudo que concordo com a conceituação realizada pelo nosso amigo Yuno quando ele se refere à política como uma ciência que promove o bem estar comum. Os métodos como são aplicados às regras e as práticas de alguns políticos é que são motivos para se discutir e deveriam ser do interesse do faxineiro ao acadêmico universitário, dos senhores e senhoras, desde a simples dona de casa ao mais destacado executivo.
Quanto a esse chavão muito repetido, por muitos, de que religião, política e até futebol não se discute, é necessário acrescentar que não se deve mesmo fazê-lo quando estamos tomados pela paixão sobrepondo a razão. Se observarmos esse cuidado, o pensamento lógico vai predominar e o resultado da discussão será altamente positivo para o exercício da nossa cidadania. Mas infelizmente isto não acontece (ainda)!
Em economia se aprende o que vem a ser mercadoria nos conceitos preliminares da ciência, e uma vez entendidos se transportarmos para a atividade política com “p” minúsculo veremos muita ligação. Como um bem produzido se torna mercadoria em economia e uma necessidade social mercadoria na política, e como as necessidades sociais se tornam também mercadorias para políticos inescrupulosos. Ninguém está imune ao canto corruptor da sereia, seja no âmbito dos três poderes ou privado. Sómente com educação política dos seus filhos uma nação atingirá o nosso tão sonhado emblema ORDEM E PROGRESSO.
A propósito, postei o bom artigo do Jornalista Villas-Bôas Correia (Jornal Tribuna do Norte, edição de 16/03/08 página 2 caderno Opinião) LULA COBRA DÍVIDA DOS MAUS PAGADORES

Dimirson Holanda Cavalcante
MORADOR

Anônimo disse...

Cara Verena.

Interessante essa sua informação, não assino mais o JH. Um dado que talvez alguns não saibam. O JH desde a detonação do SOS PONTA NEGRA, na coluna sobre economia, assinada pelo seu dono, repetidamente lia-se ou ainda lê-se artigos sempre em defesa dos construtores e contra os defensores do meio ambiente e preservação ecológica de Ponta Negra. Não é de se estranhar portanto que advogados, corretores imobiliários residentes em Ponta Negra e nos conjuntos se manifestem contra o tombamento. Essa gente visa apenas ganhos, não têm sentimento coletivo. São agentes desses capitalistas, capazes de venderem " a própria mãe" para levarem vantagem nas transações imobiliárias mesmo a um custo irreversível com a destruição do patrimônio de todos, a natureza.
Interessante esse seu raciocínio sobre o ponto final no interesses destes mercenários com o tombamento.
Tenho agora minhas preocupações com gente, que aparentemente possam parecer estar contra esses capitalistas, mas que no fundo colhem informações para formar estratégias do outro lado.
Olha minha cara Verena, nesse projeto Saneamento, Emissário Submarino, está aportado muito dinheiro, e em nosso país, sabemos, os corruptos estão entranhados nos dois lados, setor privado e governo.
Rezo e peço a Deus que apareçam líderes de verdade em que possamos confiar. No Jornal de Natal, 17/03/08 na coluna do Jornalista De Olho - Jurandi Santos
BLOG: DE OLHO jsdeolho.blogspot.com e e-mail: jsdeolho@gmail.com ele escreve uma nota: GANHA TUDO - Diz que uma empresa a M& K Comércio e Construções Ltda. famosa em "ganhar" as licitações públicas na Secretaria de Infra-Estrutura do Estado, foi a "vencedora" da concorrência para a implantação do sistema de esgotamento sanitário da Redinha. Quer dizer minha amiga, como dizia o Bóris Casoi "ESTÁ TUDO DOMINADO"
Por esta e outras cara amiga, ABRAMOS O OLHO, chega de tanta ingenuidade. Felizmente começa a existir no país um movimento contra a corrupção.

Cordialmente,

Dimirson

Anônimo disse...

INFORMARÇÃO

Reportagem TV Tropical, 19/03/08 20 horas, um jovem Arquiteto é entrevistado sobre situação da Área Não Edificante de Ponta Negra
Suas colocações são excelentes sobre o assunto. Diz o jovem arquiteto que seu projeto para as quadras que terão a finalidade de mirantes foi um contraponto ao Projeto da SEMURB.
Um detalhe chamou minha atenção. Na fala do jovem Arquiteto ele afirma que seu projeto foi discutido com a Associação de Moradores de Ponta Negra. Nós desconhecemos esta discussão. Ressalto que o projeto do Arquiteto pelo que foi mostrado é muito bom. Agora que foi discutido com a Associação de Moradores de Ponta Negra e Alagamar, isto nós desconhecemos.

Dimirson Holanda Cavalcante
Morador

Anônimo disse...

Empresas investem no marketing ecológico

Reflorestamento de áreas desmatadas precisa ser monitorado por empresa que assumir o projeto
Em setembro passado, a Ipiranga lançou um cartão de crédito chamado Carbono Zero, considerado o primeiro cartão ecológico de abastecimento do Brasil. Se o cliente abastecer seu automóvel e pagar com o cartão nos postos da rede, a Ipiranga investe em programas de neutralização de carbono, como o plantio de árvores.

Lançado em 1° de dezembro de 2005 pela Bolsa de Valores de São Paulo, o Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) é composto por um restrito grupo de empresas que demonstrem alto grau de comprometimento com a sustentabilidade e a responsabilidade social. O ISE, em sua atual carteira, reúne 40 ações de 32 empresas de 13 setores de atividade, correspondendo a um valor de mercado da ordem de R$ 927 bilhões.

No final de 2007, foi a vez de o Bradesco anunciar a criação do Banco do Planeta. A idéia é centralizar no novo "banco" todas as iniciativas socioambientais da empresa e assegurar que, nele, o dinheiro esteja, antes de tudo, "a serviço de um modo de vida sustentável".

A enxurrada de iniciativas desse gênero acelerou-se a partir da divulgação dos relatórios do Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática (IPCC, na sigla em inglês) sobre o agravamento da situação do clima em conseqüência do aquecimento global. A dúvida que fica na cabeça do consumidor é se, de fato, iniciativas como a da Ipiranga resultarão em ganhos ambientais efetivos. Ou, ao contrário, não passariam de estratégias bem elaboradas do chamado "marketing ecológico".

Na visão do Instituto Socioambiental (ISA), organização não-governamental com sede em São Paulo, é louvável e essencial que pessoas, empresas, outras instituições e governos adotem práticas sustentáveis e medidas concretas para atenuar a crise climática, mas tal compromisso não deve ser misturado com "afirmações falsas" sobre neutralização das emissões de poluentes, por exemplo.

Beto Ricardo, antropólogo e diretor do ISA, frisa outro aspecto importante: projetos de reflorestamento que visem à compensação de emissões precisam ser monitorados durante todo o período de crescimento das árvores, e somente ao final se poderá afirmar que a compensação, ou "neutralização" das emissões passadas, ocorreu efetivamente.

– Embora qualquer iniciativa que contribua para atenuar a crise climática seja positiva, incluindo o plantio de árvores, a eventual publicidade enganosa que afirme uma "neutralização" de emissões não ocorrida prestará um desserviço à causa. Se vier a ser objeto de denúncia, produzirá um efeito negativo para a credibilidade dos envolvidos e a formação de consciência social relativa a essa crise – alerta.

Para o cidadão comum, separar o joio do trigo é, portanto, muito complicado. Segmento ainda em consolidação, o marketing ambiental nem sequer dispõe de uma legislação específica que o controle. Não só a legislação brasileira não está preparada, mas também as dos demais países.

– De um modo geral se recorre ao que existe na jurisprudência em termos de defesa do consumidor, adaptando – diz o sociólogo Reinaldo Dias, autor do livro Mar-keting ambiental: ética, responsabilidade social e competitividade nos negócios.

Os dez locais mais ameaçados do planeta
67858

Anônimo disse...

Ipiranga aposta na compra de créditos de carbono

O compromisso assumido pela Ipiranga, ao lançar o cartão Carbono Zero, é manter um saldo sempre positivo na relação emissão x neutralização de gás carbônico. De imediato, a empresa realizou uma compra inicial de 5 mil toneladas de créditos de carbono, junto à empresa MaxAmbiental, com fiscalização da SGS Auditores.

Os clientes do cartão receberão, em seu extrato mensal, informações detalhadas sobre o programa e dispõem, por contrato, de até 90 dias para formalizar qualquer queixa relativa aos investimentos realizados pela Ipiranga em iniciativas ambientais.

Na apuração da relação emissão x neutralização, o valor monetário da compra será convertido em volume de combustível consumido e, conseqüentemente, gás carbônico gerado – sempre com base em dados públicos divulgados pela Agência Nacional do Petróleo (ANP).

O valor da compra será di-vidido pelo preço médio do combustível no Brasil, para obtenção do volume de combustível efetivamente comprado. Dentro desse volume, será definido o percentual de participação de cada um dos combustíveis.

Considerando as especificações de cada combustível, será calculado o volume total de emissões de gás carbônico. Os valores serão apurados mensalmente e indicarão a quantidade de gás carbônico a ser neutralizada.
67804

Anônimo disse...

Qua, 26 de Mar de 2008 5:37 am
Assunto: ABRA O OLHO

Caros.

A denominação do Blog é muito sugestiva.

Muitas vezes vemos mas não enxergamos ou não nos esforçamos para ver.

São centenas e mais centenas de organizações e grupos atuando nas mais diversas frentes temáticas. Nunca saberemos de quem está à frente de tais organizações quais seus reais objetivos, se são braços avançados deste ou daquele grupo político, organizacional etc
Sugiro ao Grupo SOS PONTA NEGRA propor aos moradores dos conjuntos Ponta Negra e Alagamar, sistematicamente, comparecerem à sede da AMPA para a discussão real dos nossos problemas ambientais.
Será ali, num fórum de debates, face a face, que poderemos conhecer realmente os líderes que vão despontando em nosso bairro.
Sabemos, existem moradores em nosso bairro, que mantêm atividade profissional ligada ao ramo imobiliário, atividade empresarial que a este ou aquele não interessa um plano setorial restritivo, que provavelmente possuem um pensar diferente do nosso. Enfim, vivemos numa sociedade plural é natural que o processo assim apareça.
Sugiro portanto que mantemos nossas comunicações nas conhecidas listas de grupos através do Blog UM OLHO A MAIS DO SOS PONTA NEGRA. O que dinamiza e atesta a eficácia de um grupo de comunicação é a freqüência de visitas e interatividade, o que não mais vinha acontecendo com o GRUPO DE ESTUDOS DO PLANO DIRETOR DE NATAL
Portando, minha sugestão é a de que usemos o espaço deste Blog para a nossa interatividade.

Dimirson Holanda Cavalcante

Jacqueline Pereira disse...

Caro Yuno, parabéns pela nova performance do blog; dinamico, diversificado e muito atraente. Sua agenda de atividades é uma excelente ideia de participacao e aglutinacao de esforcos à luta. Grande abraco.

Yuno.Silva:.* disse...

oi Jaqueline, Dimirson,

muito bom ver que as coisas continuam repercutindo.

abraços e vamos continuar espalhando essa idéia.

Postar um comentário