Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

No final de setembro de 2011 a Caern aguardava cessão de terreno. E agora? Ainda está aguardando? E a população dos Guarapes? Já foi ouvida?

Caern aguarda cessão de terreno

Tribuna do Norte - 24 de Setembro de 2011
AEstação de Tratamento de Esgotos (ETE) Jundiaí/Guarapes, a ser construída pela Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern), deve beneficiar 44% da população de Natal. Isto equivale a cerca de 400 mil pessoas, além de parte de Parnamirim, totalizando 537 mil habitantes atendidos pelo empreendimento.

joão gilbertoAudiência pública, na manhã de ontem, levou à Assembleia Legislativa gestores da área de saneamento, deputados e especialistasAudiência pública, na manhã de ontem, levou à Assembleia Legislativa gestores da área de saneamento, deputados e especialistas
A informação é do diretor-presidente da Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern), engenheiro Walter Gasi, durante audiência realizada na manhã de ontem, na Assembleia Legislativa, para discutir o projeto de construção dessa ETE no bairro Guarapes, na zona oeste da capital.

A aprovação do projeto depende da doação do terreno pela Prefeitura de Natal, o que precisa acontecer até o próximo dia 30. Este foi o prazo dado pelo Ministério das Cidades para a Caern encaminhar o termo de cessão do terreno e se credencie a receber os cerca de R$ 120 milhões necessários para a execução da obra.

Ao abrir o debate na Assembleia Legislativa, Walter Gasi destacou que a liberação do terreno não só irá viabilizar a construção de uma nova Estação de Tratamento de Esgotos, com tratamento terciário e tecnologia similar à ETE do Baldo, como a ampliação da rede de esgotamento sanitário de grande parte de Natal.

"Estamos falando de investimentos de cerca de R$ 229 milhões, que deixarão de ser realizados se não encontrarmos uma solução final definitiva para o tratamento dos esgotos das zonas Sul e Oeste de Natal", apontou o diretor-presidente da Caern. Ele lembrou que vários bairros da capital estão com rede coletora pronta para funcionar, mas que não estão operando pela falta de um sistema que permita o lançamento dos efluentes tratados antes do lançamento no rio Jundiaí/Potengi. Na Zona Oeste, por exemplo, 80% da rede já foi instalada, mas não pode ser ligada pela falta de tratamento dos esgotos.

A nova ETE Jundiaí/Guarapes foi a solução encontrada pela Caern em substituição ao polêmico projeto do emissário submarino, que seria erguido próximo à Barreira do Inferno. A nova estação, que terá capacidade para tratar 1.264 litros de esgotos por segundo (inicialmente serão 1.000 litros), beneficia uma população de 537 mil habitantes, chegando a 690 mil em 2030.

A obra vai garantir o tratamento dos esgotos de Ponta Negra, Via Costeira, Pitimbu (Cidade Satélite, Bancários, San Vale e Parque das Colinas), Cidade Jardim, Lagoa Nova, Candelária, Felipe Camarão, Guarapes, Planalto, Cidade da Esperança, parte das Quintas, Cidade Nova, Nova Cidade e área do Campus universitário da UFRN, em Natal, além de Nova Parnamirim, Cidade Verde, Emaus e Parque Industrial, em Parnamirim.

Durante o debate, diversas autoridades declararam ser favoráveis à execução da obra. "Dos mais de 500 mil beneficiados, metade é da zona oeste. Este é um projeto de grande importância para a cidade e fundamental para a região", ressaltou o deputado Fernando Mineiro. "Esta é a solução mais inteligente, a mais econômica e a que beneficia mais bairros de Natal", complementou o vice-presidente da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental no Rio Grande do Norte (Abes-RN), Josemá Azevedo.

População quer ser ouvida

Os moradores do Guarapes não pouparam as autoridades quanto às suas queixas e preocupações quanto à construção da Estação. Eles temem a piora na qualidade de vida do bairro que é um dos mais carentes de Natal e exigiram que em troca seja feita uma compensação em forma de melhorias nos serviços de saúde, educação, geração de emprego e renda  na própria infra-estrutura do bairro. A representante do Ministério Público Estadual, Rosa Pinheiro, lembrou que a escolha de áreas como Guarapes para a construção de Estações de Tratamento é definida em função da proximidade dessas áreas dos locais onde o esgoto tratado pode ser lançado. Caso da Estação de Tratamento de Esgotos do Baldo, construída naquele local para permitir o escoamento no rio Potengi. Ossessor especial de Empreendimentos da Companhia, Marcos Rocha, destacou que "a Caern não vai ser irresponsável de executar  uma obra deste porte e desta importância sem um plano de contingências e estudos detalhados de impacto ambiental da obra", destacou.

0 comentários:

Postar um comentário