Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

COPA 2014: Ministro dos Esportes admite problemas com mobilidade urbana

Tribuna do Norte - 17 de Maio de 2012

São Paulo (AE) - O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, admitiu ontem os problemas com o sistema de transportes e com o trânsito no País, classificados por  ele como "insuficiências que nós precisamos corrigir" antes dos principais eventos esportivos mundiais que o Brasil sediará: a Copa de 2014 e a Olimpíada de 2016. "Vamos ter de melhorar a situação de nossos aeroportos, do tráfego", disse Aldo, após o seminário "Brasil Rumo à Copa", ao qual chegou com uma hora de atraso, justamente por problemas com o voo e com o trânsito em São Paulo.
Ministro do Esporte, Aldo Rebelo, disse que nem todos os gargalos são problemas com a infraestrutura
Para o ministro, nem todos os gargalos podem ser classificados como problemas de infraestrutura. Alguns, segundo ele, são de logística, "como por exemplo a capacidade de receber mais ou menos pousos e decolagens, ou mesmo das companhias (aéreas) e da Receita (Federal), que precisa de mais gente para desembaraço de bagagens". "São providências relativamente simples que podem melhorar a vida dos passageiros", completou Aldo.

O ministro ainda criticou o sistema de telefonia celular e afirmou que em 2014 todas as 12 sedes brasileiras da Copa do Mundo terão a tecnologia 4G. "Aqui em São Paulo, em determinados momentos é difícil falar dois ou três minutos ao telefone", afirmou.

Durante a palestra de ontem, na capital paulista, Aldo elogiou a Fifa, que "tem mais sócios e consegue resolver controvérsias que a ONU (Organização das Nações Unidas) não consegue resolver", mas depois também alfinetou a entidade, que faz recorrentes críticas sobre os atrasos do Brasil nas obras para a Copa de 2014.

"Dissemos à Fifa que temos de enxergar o Brasil como um país democrático, que tem Congresso que funciona, que tem órgãos de controle que funcionam, são independentes, e que tem a imprensa que fiscaliza e acompanha diariamente", revelou o ministro. "O Brasil investiu em obras públicas, que estavam previstas quando não se falava em Copa."

O ministro reconheceu, no entanto, a burocracia com o grande número de órgãos reguladores e fiscalizadores no sistema público do Brasil para aprovação de obras em estádios e de infraestrutura. "Estive no Maracanã e ouvi que lá são 13 órgãos com capacidade de paralisar obras", exemplificou Aldo.

ESTÁDIOS

O diretor executivo de Operações do Comitê Organizador Local (COL) da Copa de 2014, Ricardo Trade, demonstrou confiança com o ritmo das obras dos estádios para a Copa. Ele disse que vê comprometimento para o cumprimento dos prazos.  Ainda sobre os prazos, Trade afirmou que a Arena das Dunas, de Natal, é a que mais preocupa. "Claro que demanda mais atenção, mas a gente está acompanhando. A construtora é séria, tem prazo para entregar e vai entregar", disse ele.

0 comentários:

Postar um comentário