Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Matéria TN 29/3 :: Um dia de tumulto e alagamentos em Natal

Um dia de tumulto e alagamentos em Natal

Foto: João Maria Alves

PONTA NEGRA - Chuvas derrubam árvores e assustam moradores

Novamente as chuvas tumultuaram o trânsito do natalense. As precipitações da madrugada de ontem causaram alagamento em vários pontos da Zona Sul da cidade. Na madrugada de quarta-feira, choveu em Natal 56,8 mm. Especialistas da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn) indicam que as chuvas já ultrapassaram a média prevista para março, de 206mm. Esse mês já choveu aproximadamente 250mm no Rio Grande do Norte. A previsão para os próximos dias para todo o Estado é de céu parcialmente nublado com pancadas de chuva.

Segundo o meteorologista da Emparn, Gilmar Bristot, as chuvas da madrugada de quarta-feira em Natal, são consideradas moderadas e normais para o período, apesar do número já ter ultrapassado o previsto. Para ele, uma chuva de 56 mm não é muito forte. Mas isso foi suficiente para causar o desmoronamento de duas árvores na obra da lagoa de captação, no conjunto Ponta Negra.

Na rua Maracajaú, no conjunto Ponta Negra, os moradores começaram o dia ontem, com um susto. Na obra da lagoa de captação na rua, houve um desmoronamento de terra, que derrubou duas árvores e já ameaça outras. Dentro do buraco formado, as marcas de pneus de tratores mostravam que as máquinas da obra também estiveram, mais cedo, em local de risco. A professora Francisca Miranda, disse que estava assustada com o desmoronamento, porque a areia não parava de ceder. “Cavaram muito perto da calçada. Daqui a pouco isso vai ceder também. Só falta mesmo chegar nas nossas casas”, afirmou.

Além desse trecho do conjunto Ponta Negra, outros pontos em Capim Macio e Potilândia ficaram alagados. O trânsito ficou tumultuado no início da manhã, próximo ao Complexo do IV Centenário. Em Nova Parnamirim, na cratera conhecida como Mahatma Gandhi, a terra continua cedendo e partes da avenida Deputado Gastão Mariz de Farias ficou debaixo da água, causando transtornos para motoristas que trafegavam pela rua.

O meteorologista Gilmar Bristot explicou que essas chuvas já indicam o início do inverno. “As chuvas são normais para o período, no Nordeste o período de chuvas já está em pleno desenvolvimento”, disse. Ele contou que as chuvas nessa época do não, são ocasionadas por áreas de instabilidade tropicais, alimentadas pela umidade vinda do oceano Atlântico.

Para ele, a média diária de chuvas em Natal e no interior está, em geral, dentro do esperado. “Superou um pouco, mas não é considerada demais”, afirmou. Gilmar Bristot disse que a previsão para os próximos dias é de céu nublado com pancadas de chuva, principalmente durante a madrugada e início da manhã, em Natal. Para o interior o céu se mantém nublado, mas as chuvas ocorrem durante a tarde e início da noite.

Motorista derrapa na pista e vira microônibus

A pista lisa é a má visibilidade serviram de fatores agravantes para um acidente que ocorreu ontem, por volta das dez horas da manhã, na BR101, no trecho que liga Natal à Nova Parnamirim. Um microônibus alternativo (particular), de placas MYI-9804 (Parnamirim/RN) derrapou na pista, invadiu o canteiro e virou. No momento do acidente, oito pessoas viajavam no alternativo. Os passageiros tiveram ferimentos leves e apenas uma moça precisou ser socorrida por uma ambulância.

Segundo o motorista do microônibus, Marcus Roberto Martins, ele seguia na faixa da direita em baixa velocidade - aproximadamente 40 quilômetros por hora, quando tentou mudar para a faixa da esquerda. “Quando fui mudar de pista vi um outro carro em alta velocidade. Para não bater tentei desviar e perdi o controle”, disse. O alternativo alcançou o canteiro direito da pista (sentido Natal para Nova Parnamirim) e tombou.

A psicóloga Suely de Sousa estava no alternativo no momento do acidente. “Não me lembro de nada, mas o motorista vinha com velocidade”, disse, contrariando a versão do motorista. Duas ambulâncias do Samu Metropolitano seguiram para o local, mas apenas a psicóloga precisou de atendimento - ela teve arranhões leves - para se acalmar.

A moça que foi socorrida pela ambulância deu entrada no Pronto Socorro Clóvis Sarinho, mas o serviço social do hospital não soube informar o nome e o estado de saúde da vítima.

0 comentários:

Postar um comentário